18
out
2019
17

TESTOSTERONA E SEUS COLATERAIS

Testosterona é o principal hormônio androgênico produzido por homens e mulheres, sendo que os homens tem níveis 10x maiores que as mulheres. Isso explica porque homens têm mais massa muscular, mais pêlos no corpo, voz mais grave, barba etc.

Existe muita bobagem escrita sobre os efeitos colaterais da testosterona, infelizmente muitas vezes propagadas por profissionais de saúde. Antes de tudo, saiba que o uso de testosterona em doses suprafisiológicas NÃO é saudável, embora os riscos sejam muitas vezes exagerados por alguns médicos e pesquisadores. Assim como picaretas costumam mentir sobre os efeitos colaterais, dizendo que seu método de modulação hormonal não tem efeitos colaterais.

A acne é um dos efeitos colaterais mais comuns da testosterona, mas assim como a queda de cabelo, a resposta varia entre os indivíduos. A ginecomastia também é um efeito adverso comum, mesmo em doses pouco acima dos níveis fisiológicos. A maior preocupação da testosterona pode ser sobre o sistema cardiovascular, já que esse hormônio reduz os níveis de HDL, aumenta o hematócrito e a hemoglobina, deixando o sangue mais viscoso. Embora não seja um problema no curto prazo, no longo prazo esses efeitos podem causar hipertensão e aumentar o risco de trombose e acidente vascular cerebral. Importante deixar claro que isso é um problema para quem faz uso contínuo e abusivo de testosterona no longo prazo (anos), principalmente sem controle de exames e acompanhamento profissional.

O uso de testosterona também pode levar à infertilidade temporária, devido à inibição do eixo hormonal (HPT). Esse é um efeito reversível após a interrupção do uso, assim como a maioria dos colaterais.

Testosterona não parece afetar negativamente rins e fígado.

Além dos efeitos negativos sobre o sistema cardiovascular, considero que os maiores problemas com o uso de testosterona ocorrem após a interrupção do uso, onde o estado hipogonádico temporário leva à queda da libido, queda da motivação e poderia aumentar o risco de depressão e suicídio em indivíduos com predisposição, além de aumentar o risco de dependência psicológica, o que faz com que muitos usuários usem continuamente ou façam ciclos com muita frequência.

abraços, Dudu Haluch

2 Responses

  1. Rafael Ferreira

    É exatamente meu maior problema, não sei se por causa da testosterona mas minha TRT por hipogonadismo e problemas de crescimento, minha motivação ou dopamina talvez seja um pouco baixa e quando reduzi o tempo entre aplicações indicado por médicos tive inúmeras vantagens além do aumento de massa magra e desempenho sexual, minha vontade/ disposição melhorou consideravelmente após aplicações de durateston (uso dura pq aderi melhor que o cipionato) e fiz um mês com o intervalo de 250mg em duas semanas e voltei ao comum, posteriormente vou testar 0,5ml semanalmente pra entender se são causados por ésters mais curtos ou se é o nível alto quem me deu as vantagens psicológicas, por fim queria te pedir alguns estudos pra me indicar sobre tais aspectos em usuários “normais”, gosto demais do blog e parabéns por divulgar informações tão relevantes!

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.