8
jul
2013
0

Men’s Physique, Fitness e HORMÔNIOS (DUDU)

Nesse artigo pretendo falar como atletas constroem um shape para competir em categorias fitness, como a Men’s Physique da IFBB. É importante lembrar que a genética e a aparência física desempenham um papel muito importante aqui, e por isso muitos atletas e novatos não terão muito sucesso se quiserem participar dessa categoria. Se você tem uma bela simetria e um shape bem estético pode ser que isso compense um pouco a falta de uma boa aparência física, mas um shape feio e uma cara feia não terão muito sucesso aqui, rsrs.

A categoria Men’s Physique é definida pela ifbb internacional como: “Categoria de físico atlético, destinada para homens que buscam desenvolver um físico agradável e com menos massa muscular… Os juízes estarão a procura de concorrentes em uma boa forma física e simetria combinado com sua musculosidade e estado geral. Entende-se como estado geral o tom da pele, características faciais e cabelo. Esta Categoria não é uma competição de bodybuilders, musculosidade  extrema deverá ser pontuada para baixo” [1]. Em alguns sites da IFBB Brasil acredito que a definição pode trazer alguns equívocos quando se fala em definição moderada (“Volume e definição muscular moderado. Os atletas deverão ser visualizados com a ênfase em um físico “Saudável, normal, atlético“. Músculos firmes e baixo % de gordura. A proporcionalidade entre tronco e membros inferiores deve seguir o shape em forma de “V” [2]), uma vez que os atletas (os campeões) em geral se apresentam com BF tão baixo como no bodybuilding (BF~4-6%). Logo, atletas fitness estão sempre priorizando um físico estético com muita qualidade e simetria, principalmente nos membros superiores (uma vez que as pernas não são visualizadas em algumas categorias fitness, como a Men’s Physique da IFBB.

Por não exigir muito volume muscular muitos atletas  se mantém com percentual de gordura baixo (~7-8%) mesmo no OFF Season, isso também por muitos trabalharem como modelos. Para se manter com um físico estético (baixo percentual de gordura e pouca retenção hídrica), os esteroides androgênicos mais usados por esses atletas são: trembolona, primobolan, oxandrolona, stanozolol, masteron, proviron, boldenona. Testosterona é usada em geral em doses baixas ou moderadas (~200-600mg semana), e preferencialmente esteres de meia-vida curta como propionato e fenilpropionato. As doses totais de androgênicos para um atleta fitness podem ser muito variáveis, mas considerando o menor volume muscular do que um bodybuilder, podemos dizer que uma boa dose total semanal fica entre 1 a 2g totais de esteroides. O GH é uma droga de grande valor parar esses atletas, principalmente os tops e profissionais, com doses variando entre 4 a 12UI por dia, podendo se manter ON GH a maior parte do tempo, quando estão em baixas doses de esteroides ou mesmo em OFF Season. Insulina é uma droga de pouco valor aqui e desnecessária, e diuréticos são muito importantes, principalmente antes das competições ou sessões de fotos e videos; assim como anti-estrogênicos (SERM’s, inibidores de aromatase), que muitos usam a maior parte do tempo. Atletas da elite ainda podem usar peptídeos adicionais como IGF-1, MGF’s, PGF’s, etc.

O treinamento desempenha um papel muito importante para modelar o shape do atleta, uma vez que a simetria é um dos critérios mais importantes para julgar a categoria. O físico perfeitamente simétrico é frequentemente descrito como a forma “X”. A parte superior do X representa ombros, o “V” na metade superior do X representa uma grande parte superior das costas, estreitando para uma pequena cintura com quadris pequenos, e a metade inferior do X representa pernas longas com saindo dos quadris, panturrilhas completas e músculos da coxa que parecem ligar diretamente para a cintura [3]. Para um atleta Men’s Physique a parte V tem uma importância acima dos membros inferiores (que ficam escondidos sob a bermuda nas competições). Ombros devem ser grandes, costas largas, peitoral denso, braços com bom volume e qualidade estética (principalmente triceps e divisão do ombro), e cintura fina com abdominais com boa qualidade estética. Então se o atleta já tem boa genética para pernas, ele pode direcionar mais atenção durante o treinamento para os membros superiores,  o que durante o uso de esteroides androgênicos facilita o desenvolvimento dos pontos fracos se você aumenta o estímulo de treinamento para o grupos musculares mais fracos do seu shape Em humanos, os músculos da parte superior do braço, peito e costas são mais responsivos aos esteroides androgênicos do que outros músculos [4], então com um treinamento inteligente esses pontos fracos podem se desenvolver de forma simétrica com os pontos fortes do seu shape. E se ele não tem boa genética para membros inferiores também não precisa ter uma preocupação adicional para desenvolvê-las como um bodybuilder. No entanto existem coisas que você não poderá mudar com treinamento e hormônios (pontos de inserção do músculo, aspecto estético de um grupo muscular, etc). Se você ainda têm dúvidas de como deve ser o shape ideal de um TOP FITNESS MODEL se espelhe nos melhores e nos campeões da Men’s Physique [5].

abraços, DUDU HALUCH

Referências:

[1] http://www.mensphysique.com.br/#!categoria/ck6v

[2] http://ifbbparana.com.br/modalidades/117-mens-phisique.html

[3] http://bodybuilding.about.com/od/bodybuildingcompetition/a/The-Basics-Of-Bodybuilding-Symmetry-Part-I.htm

[4] Kadi F. Adaptation of human skeletal muscle to training and anabolic steroids. Acta Physiol Scand 2000;168:4-53.

[5] http://extremebodyfit.com/top-10/top-10-most-aesthetic-physiques-of-2012

You may also like

Hormônios: anabolismo/catabolismo, lipogênese/lipólise (DUDU)
Simplicidade, Consistência e Adaptação (Dudu)
Ciclo dos Profissionais 3: anos 70 (era Arnold)
Importância das drogas e hormônios no bodybuilding

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.