2
nov
2013
2

O EFEITO CATCH-UP DO CRESCIMENTO. PQ NÃO TER MEDO DO CATABOLISMO (DUDU)

Em fisiologia é bem conhecido o fato que um processo de carência nutricional afeta o crescimento de crianças. Após doença ou inanição em crianças, ocorre um período de catch-up (recuperação) do crescimento, durante o qual a taxa de crescimento é maior do que o normal. Os mecanismos que fazem surgir e controlam esse efeito sã…o desconhecidos.

Há uma relação direta entre crescimento ósseo e o muscular, evidenciado pelo fato de que o comprimento do osso é determinante primário da massa muscular em todas as espécies de animais. No entanto atletas podem aumentar sua massa muscular através do estímulo do treinamento de força, e também por manipulação da dieta e uso de hormônios anabólicos exógenos (esteroides androgênicos, insulina, GH, IGF-1).

Em crianças a desnutrição provoca um catabolismo muscular e a relação massa muscular/comprimento do osso diminui. Com a recuperação nutricional , o estímulo para o crescimento aumenta como um efeito supercompensador, até que a relação peso/altura se restabelece em níveis normais. Assim sendo, o crescimento rápido do músculo cessa imediatamente.

Esse efeito de recuperação do crescimento pode ser aplicado também a atletas e pessoas que passam por uma dieta restritiva para perder gordura, e acabam perdendo uma boa parte da massa muscular. Nesse caso o efeito é apenas sobre o crescimento muscular (considerando que o crescimento ósseo tenha terminado), e o efeito supercompensador acontece desde que o estímulo de treino seja mantido. O catabolismo muscular em dieta acontece principalmente pela perda de peso muito rápida, com o organismo sofrendo carência de substrato energético (proteínas, mas principalmente carboidratos, vitaminas e minerais). Assim que a dieta é normalizada os ganhos de massa muscular se recuperam rapidamente.

Esse efeito supercompensador, também conhecido entre atletas como rebote de dieta, é bem mais visível e potencializado em pessoas que fazem o uso de hormônios anabólicos (esteroides, insulina, GH) e/ou sofrem desidratação na fase final de uma dieta. Isso acontece porque a dieta foi feita em um ambiente hormonal de intenso anabolismo, mas esse anabolismo muscular foi privado pela carência de substrato energético (a fim de gerar um grande déficit calórico para queima de gordura). Com o restabelecimento adequado de nutrientes, os hormônios anabólicos aliados ao estímulo do treinamento de força potencializam o efeito de catch-up do músculo, assim como o aumento dos carboidratos vai aumentar os estoques de glicogênio no músculo (potencializado pelos hormônios) e também os níveis de insulina, aumentando a retenção de eletrólitos (sódio, potássio) e água, o que vai acelerar a recuperação do volume muscular.

Portanto o medo de perder massa muscular durante uma dieta restritiva, principalmente para um atleta hormonizado, é infundado. O único momento que ele poderá sofrer reais perdas de massa muscular é após cessar o uso de hormônios anabólicos e/ou cessar o estímulo do treinamento de força. Mas em geral o catabolismo muscular gerado por uma dieta momentânea, é facilmente recuperado com restabelecimento de uma nutrição adequada. Para um hormonizado esse efeito ocorre bem rapidamente, média de 2 a 4 semanas, e para um natural pode levar média de 4 a 8 semanas (estou especulando aqui).

abraços, DUDU HALUCH

FONTE:

Fisiologia Médica, W. Ganong, 22ª edição.

Nutrição, Metabolismo e Suplementação na Atividade Física, Julio Tirapegui, 2ª edição.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.