17
jun
2013
1

Ciclo dos Profissionais 2: anos 60 (Era OLYMPIA)

O que os pro’s usavam nos anos 60?

Essa resposta não é tão difícil quanto a questão sobre o uso de esteróides nos anos 50, época em que atletas de ponta ainda estariam competindo natural em campeonatos como o Mr. Universe. Mesmo assim não é fácil dizer exatamente o que os caras estavam usando nos anos 60 e principalmente as dosagens, exceto que o Dianabol reinava nessa época. É visível também que os caras da elite já estavam longe de um corpo natural, principalmente os vencedores do Olympia, Larry Scott (1965, 1966) e o freak Sergio Oliva (Mr. Olympia em 1967, 1968 e 1969).

1960: A moda comum durante este período de tempo foi incrivelmente simplista e extremamente conservadora. Caras como Scott, Howorth, Ortiz, Draper, etc … estariam usando D-BOL. Foi apenas na última parte dos anos 60 que Deca foi adicionado ao D-bol. Normalmente, durante esta época os bodybuilders ficariam talvez quatro meses do ano ON drugs e ficariam os restantes 8 meses fora.

A deca foi desenvolvida como uma alternativa ao d-bol, já que muitos atletas haviam relatado problemas com sua hepatoxidade usando altas dosagens, por isso é improvável o relato do escritor Nelson Montana de que Larry Scott usasse apenas 10mg de d-bol por dia (muito mais provável 10 comprimidos por dia, rs), e o físico bem desenvolvido de Scott.

Sergio Oliva confirmou ter usado d-bol e deca, sem mencionar as dosagens, mas confirmou que todos na época estavam usando. Nelson Montana relata que ele usava 200mg de deca por semana e 25mg de stanozolol por dia (haha), o que parece ser uma dosagem absurdamente baixa para um cara daquele tamanho, embora não dá para deixar de reconhecer que Sergio Oliva tinha uma genética privilegiada comparando ele com os atletas do seu tempo e mesmo com os atuais, que usam drogas e dosagens muito maiores.

Dave Draper, ator e Mr Universe IFBB em 1966, relatou como era um ciclo razoável entre 1965 e 1970, e que parece ser mais realista, exceto pelas doses baixas:

“Entre 1965 e 1970, um esboço razoável consistiria de um ciclo de 12 semanas de Durabolin injetável, 1ml por semana, além de Winstrol (stanozolol), Anavar (oxandrolona), ou Dianabol em forma de pílula, 4 a 6 tabs por dia.
Níveis seriam maior ou menor de acordo com os resultados, a necessidade, ou ignorância do patife, a ousadia, o desespero, a disponibilidade dos ingredientes, humor, e assim por diante. A cada seis semanas durante a fase de não competição, um ciclo curto e leve poderia ser feito para sustentar os ganhos musculares e a força.”

Como podem ver testosterona provavelmente era muito pouco usada, nenhum desses atletas faz menção do uso da mesma, possivelmente também porque não tivesse tanta disponibilidade, ou talvez o receio pelos efeitos colaterais fosse muito grande. Deca e Dianabol foram os principais responsáveis na construção dos grandes atletas dessa época. O relato de doses baixas entre fisiculturistas é muito comum, mesmo nos dias de hoje, provavelmente pelo medo de tirar o mérito de suas conquistas.

“Se você não consegue crescer com Deca e Dbol, você não conseguirá crescer com qualquer outra coisa!”
Dan Duchaine

abraços, DUDU HALUCH

You may also like

Ciclos para Mulheres (DUDU)
Noção básica para montar CICLOS
Ciclo dos Profissionais 3: anos 70 (era ARNOLD)
ESTEROIDES e CICLOS para MULHERES (DUDU)

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.