5
ago
2019
6

LOW CARB ATÉ QUE PONTO?

Você pode reduzir carboidratos para perder peso, mas entenda que uma redução drástica de carboidratos não necessariamente é melhor para perder gordura do que uma redução branda. Zerar carboidratos ou fazer dieta cetogênica não vai fazer você perder mais gordura do que uma dieta com a mesma quantidade calórica e mesma quantidade de proteínas.

Com a dieta mais restrita em carboidratos você pode perder mais peso inicialmente devido a maior perda de água nos primeiros dias, já que baixar os níveis de insulina aumenta a excreção de sódio e água (além dos baixos estoques de glicogênio).

Em alguns indivíduos obesos e mais resistentes à insulina pode ser mais efetivo reduzir mais carboidratos, mas não necessariamente a ponto de uma dieta cetogênica. Ficar entre 20 a 40% das calorias de carboidratos seria bom pra começar e pensando em maior adesão à dieta no longo prazo não seria bom se manter por muito tempo no limite inferior (20%). Um nutricionista inteligente e com conhecimento pode trabalhar periodizando a dieta, ajustando os alimentos e macronutrientes com o tempo, e até mesmo as calorias.

Indivíduos mais sensíveis à insulina respondem bem ao consumo de carboidratos e normalmente perdem peso/gordura com facilidade. Nesses casos, é desnecessário restringir muito os carboidratos. Ficar oscilando os carboidratos na faixa de 30-45% das calorias nesses casos estaria de bom tamanho, principalmente para quem treina.

Pode-se optar por dietas mais restritas em carboidratos (cetogênica) em indivíduos obesos e resistentes à insulina por períodos curtos de tempo (4-8 semanas) se esse tipo de estratégia ajudar na adesão. Em indivíduos com percentual de gordura baixo uma dieta muito restrita em carboidratos aumenta o risco de perda de massa muscular, o que seria mais um motivo para não se manter muito tempo com carbo baixo.

Na minha opinião dietas que ciclam carboidratos são a melhor estratégia para otimizar composição corporal quando combinadas com exercício, principalmente musculação. Não esquecendo da importância de se manter uma boa ingestão proteica, na faixa de 2,0 a 3,0 g/kg, o que ajuda na manutenção da massa muscular, no aumento da SACIEDADE e pode contribuir um pouco no aumento do gasto energético.

LOW CARB não precisa ser estúpida.

abraços, Dudu Haluch

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.