9
ago
2016

mTOR E GANHO DE GORDURA (DUDU)

A mTOR é proteína considerada integradora celular, responsável por estimular processos anabólicos, regulando a síntese de proteínas, lipídeos e ácidos nucleicos, necessários para a o crescimento e proliferação celular. A mTOR existe em dois complexos distintos: mTORC1 e mTORC2. A atividade de mTORC1 é regulada por insulina, fatores de crescimento (IGF-1), estímulo mecânico (treino de hipertrofia), status energético, nutrientes, principalmente aminoácidos (leucina) e estresse oxidativo. O complexo mTORC2 só é regulado por fatores de crescimento.

Durante uma dieta hipercalórica a insulina e a abundância de nutrientes e energia irão estimular a via da mTOR. A insulina e os fatores de crescimento fazem isso através da via PI3K/Akt/mTOR. Já sabemos que é muito difícil ganhar massa muscular sem ganho de gordura e que grande ingestão de carboidratos e altos níveis de insulina favorecem o ganho de gordura através de um efeito poupador de gorduras, inibindo a lipólise e a queima de gorduras. Agora podemos ver claramente que a mTOR, estimulada durante o superávit calórico, contribui não somente para um aumento da síntese de proteínas, mas também para a síntese de lipídios. A mTOR também inibe os processos catabólicos como a lipolise e a beta oxidação.

Já em uma situação de restrição energética (cutting), os níveis de ATP são reduzidos e ocorre ativação da proteína AMPK, também induzida pelo exercício físico (aeróbico). A ativação da AMPK é resultado do decréscimo do estado energético celular e seus efeitos buscam aumentar os níveis de ATP (ativando a oxidação de ácidos graxos), ao mesmo tempo que inativa as vias anabólicas, como a síntese de proteínas e lipídeos, inativando assim a via da mTOR.

A ideia de ganhar massa muscular e perder gordura ao mesmo tempo é atraente, mas como podemos ver, os processos anabólicos e catabólicos para proteínas e lipídeos, no geral, são regulados paralelamente pelas mesmas vias de sinalização, tornando difícil ganhar massa muscular sem ganhar gordura e mostrando como é difícil perder gordura sem perder massa muscular. Claro, para um indivíduo natural :)

Nutrient regulation of the mTOR complex 1 signaling pathway.
Kim SG, Buel GR, Blenis J.

A growing role for mTOR in promoting anabolic metabolismJessica J. Howell, Stéphane J.H. Ricoult, Issam Ben-Sahra, Brendan D. Manning

The Roles of mTOR Complexes in Lipid Metabolism.
Caron A, Richard D, Laplante M.

Dudu Haluch

1 Response

  1. Eduardo Maes

    Fala Dudu, tudo certo?
    Primeiramente parabéns pelos artigos cara, sempre contribuindo muito pro esclarecimento “real” de várias dúvidas da galera. Os seus textos, por exemplo, vão além do clássico “superáviti inibe a queima de gordura” que a gente vê por aí e que pode ser facilmente contestado ou mal interpretado… É sempre bom saber porquê e por quais vias isso acontece, quebrando de fato os paradigma do ganho de massa e queima de gordura para um indivíduo natural.
    Tenho uma dúvida a algum tempo, estou com dificuldade de encontrar uma resposta satisfatória e gostaria de ver se pode me ajudar. Dei uma olhada por aqui mas a princípio não encontrei nenhum post relacionado, se por acaso já tiver algum pode desconsiderar e apenas me indicar ele que com certeza vou dar uma olhada…
    Queria saber sobre o acúmulo de gordura localizada, especialmente com característica andróide, durante o bulking. Eu particularmente tenho uma tendência grande ao acúmulo na região abdominal e flancos, o que significa que em meu bulking grande parte do acúmulo ocorre nessa região logo de início. Isso me preocupa pois essa gordura é muito mais difícil de perder do que as demais, o que faz com que no meu cutting, após já ter um nível bacana de definição nas demais áreas, eu tenha que sacrificar muito do meu ganho de massa magra para chegar em um nível ainda beeem medíocre de definição no abdomen e flancos.
    Sei que temos vários recursos no cutting para maximizar a queima de gordura em áreas com menor quantidade de receptores beta adrenérgicos (e maior quantidade dos alfa), mas nunca li nada sobre algum recurso para evitar o acúmulo excessivo dessa gordura durante o bulking, o que, na minha opinião, seria bastante efetivo. Já cogitei até utilizar clembuterol ou outros recursos mais agressivos, da mesma forma que já cogitei iniciar um ciclo para viabilizar ganhos mais secos, porém pelo mesmo motivo (psicológico) continuo insistindo em um progresso natural, mais lento.
    O que acha?
    Grande abraço,

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.